Publicidade

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 Direitos da Diversidade Sexual, Direitos Humanos, homofobia | 10:23

Porque Criminalizar a Homofobia

Compartilhe: Twitter

homofobia 4A homofobia constitui um dos pilares estruturantes da nossa formação cultural, ao lado do machismo e do racismo. Trata-se de referência de ordenação da sexualidade, a partir da qual são estabelecidas relações sociais, papéis de gênero, comportamentos e práticas sexuais. Seus postulados primam pelo controle do corpo e das vivências sexuais, impondo como única experimentação autorizada, aquela centrada na heterossexualidade.

A homofobia, ao buscar domesticar a sexualidade humana, estabelecendo-lhes regras para a sua experimentação, legitima, de um lado, as práticas heterossexuais e, de outro, a violência simbólica ou direta às diferentes vivências da dimensão sexual do ser humano.

Como expressão da normatividade das sexualidades, a lógica homofóbica cria estratégias políticas de intervenção na sociedade e domínio das pessoas. Neste sentido, o conceito de homofobia se amplia para compreendê-la como instrumento destinado ao controle das sexualidades em suas diferentes formas de vivência e expressão. Assim, não apenas as relações entre pessoas do mesmo sexo são objeto de discriminação, mas também o processo de construção do corpo vivenciado por travestis e transexuais está sujeito às mais diferentes formas de intolerância.

As manifestações homofóbicas, reveladas por variados atos de violência, expostos desde a injúria até o sistemático cometimento de ashomofobia 3sassinatos, centram-se na busca de impedir a livre vivência da sexualidade distinta dos padrões tidos como normais. Não são crimes comuns, já previstos na legislação brasileira. Trata-se de tipos específicos de violação de direitos, pois sua força vai além da mera coação para que se comporte a partir de um único padrão comportamental-sexual. Com isso, objetiva negar a pessoa LGBT como sujeito de direito e, em última análise, como verdadeiro ser humano. Daí os crimes contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, cujo fundamento está enraizado na negação do direito a ser pessoa, são chamados crimes de ódio.

Ao reconhecer diferenças a partir do critério sexualidade numa sociedade homofóbica, reconhece-se que as condições sexuais de cada pessoa são fatores que a vulnerabiliza. Um dos mecanismos que permite a plena realização da cidadania de pessoas LGBT é o enfrentamento aos crimes de ódio, possível por meio da criminalização da homofobia.

Com a criminalização da homofobia três efeitos imediatos poderão ser sentidos. O primeiro deles diz respeito ao reconhecimento das diversas orientações sexuais e identidades de gênero como elementos jurídicos integrantes da personalidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, merecedores de proteção estatal. Numa perspectiva jurídica (e mesmo pedagógica), a lei que torna crime determinada conduta traduz a importância que o Estado confere a determinados bens jurídicos, colocando-os a salvo de violências e estabelecendo punições devidas quando da sua violação.

homofobia 2O segundo efeito refere-se ao reconhecimento da real motivação da violência dirigida contra uma pessoa LGBT. A identificação oficial do cunho homofóbico de determinada conduta permitirá qualificar adequadamente o crime, revelando as razões e a extensão da violência cometida. Neste sentido, o corriqueiro xingamento a uma travesti, por exemplo, será considerado como injúria qualificada como prática homofóbica, autêntica expressão de intolerância ao seu gênero. A identidade daquela pessoa não poderá ser tomada como autorização para a violação da sua dignidade. Retira-se, portanto, da pessoa agredida a justificativa da agressão sofrida. Por outro lado, devolve ao autor a sua plena e única responsabilidade pelo crime praticado. Assim, é a identidade de gênero, constituinte da sua personalidade, que assegurará direitos.

O terceiro efeito centra-se na instrumentalização do crime por parte dos agentes do Poder Público. Um delegado de polícia ou promotor público não poderá alegar ausência de lei para tipificar a conduta como efetiva manifestação de homofobia. Com a criminalização, as práticas de intolerância às diferenças sexuais serão consideradas a partir da sua real motivação, podendo ser adotados meios suficientes para punir adequadamente os crimes de ódio. Tira-se a venda dos olhos da Justiça para as violações motivadas pela discriminação pela orientação sexual e identidade de gênero.

As iniciativas legislativas que propunham criminalizar a homofobia em debate no Congresso Nacional não criam tratamentos especiais aos cidadãos LGBT. Em essência, elevam os crimes homofóbicos à mesma categoria dos crimes raciais. Nesse sentido, buscam equiparar as manifestações de violência em razão das diferenças humanas, promovendo-as.homofobia 1

A criminalização da conduta homofóbica é o único meio capaz de instaurar mecanismos aptos a enfrentar os atos de violência baseados na intolerância às diferenças sexuais. Não se trata de privilegiar direitos ou pessoas, senão estabelecer instrumentos apropriados para responder na exata medida condutas específicas, não acobertadas pelo Código Penal brasileiro.

A proposta de criminalização da homofobia suscita um importante debate acerca da intervenção do Estado na vida em sociedade e a necessidade de reduzir seu aparato repressor. No entanto, ainda que não se possa afirmar que o Direito Penal cumpriu sua missão histórica de promover a paz social e ressocializar pessoas, é possível torná-lo instrumento de garantia de direitos por meio da sua instrumentalidade.

Em um país de desiguais, são bem-vindas as medidas destinadas a assegurar o direito à diferença, entendido como parte do direito à igualdade e pressuposto do respeito à cidadania de todas as pessoas.

 *As fotos que ilustram este artigo são imagens de cidadãos LGBT assassinados em razão da sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Autor: Tags: , ,

43 comentários | Comentar

  1. 93 JORGE VIDAL 05/12/2014 11:35

    Perdoe-me, mas, ao meu juízo, existe em todo mundo (lamentavelmente também no Brasil) a evidente dificuldade em tratar com o assunto homossexualidade, e muito mais ainda em legislar de forma inteligente, humana, justa e juridicamente correta sobre este assunto. Quando se criou para este modus vivendi uma espécie de maravilhosa, incontestável e intocável forma de vida que não pode ser avaliada; e se quer criar Leis truculentas e irracionais para defendê-la, como o caso do PLC 122 e/ou os seus Substitutivos (trocar seis por meia dúzia) e demais outras inserções que se está tentando aqui ou ali, como no caso presente do PNE… Ainda, o principal e necessário questionamento da Resolução 175 CNJ que habilita o dito CASAMENTO, é, até então, segundo a Lei entre homem e mulher e outras discriminações a serem contempladas para essa habilitação sendo estranho à Lei o que se está fazendo… A minha preocupação quanto a isto me fez produzir o Estatuto: no esboço da sugestão que consta do Blog ESTATUTO DA HOMOSSEXUALIDADE OU ESBOÇO DE SUGESTÃO À FEITURA DE LEI SOBRE O ASSUNTO, endereço http://www.estatutosenadocarta.blogspot.com e http://www.estatutolei.blogspot.com .
    Atenciosamente JORGE VIDAL

    Responder
  2. 92 David 05/11/2014 13:30

    Quando dizem que um crime é crime independentemente de ser praticado contra uma determinada raça, religião, género ou orientação sexual, estão a pensar na igualdade de direitos. E, por isso, criticam estas leis que criminalizam a homofobia pelo facto de favorecerem a comunidade lgbt.
    No entanto, acontece que os gays não estão no mesmo patamar de direitos civis que os outros grupos sociais. Estão num nível abaixo. Estas leis o que vão fazer é permitir nivelar essas diferenças, obtendo-se uma verdadeira igualdade de direitos. Simples.

    Responder
  3. 91 David 05/11/2014 12:53

    Claramente os comentários são inteligentes. Opinião é a ideia que temos e que passamos sobre um assunto, do género “sou 100% contra a homossexualidade, os gays só vieram colocar em causa os valores tradicionais da família e por em risco a sustentabilidade da espécie humana”. Isto é uma opinião, à qual todos temos direito. Comparem com algo como chegar à rua ao pé de um sujeito e gritar “viado, muito gostas de levar no cu, és uma aberração vai arder no inferno”. Desafio: Descubra as diferenças! Este tipo de situação, que representa uma ofensa e insulto à dignidade da pessoa, de todo uma mera opinião, é que se quer criminalizar.

    Responder
  4. 90 Marcelo Neves 24/09/2014 19:38

    A partir do momento em que uma trans, uma lésbica ou um gay é assassinado por motivo torpe, só por ser diferente e amar diferente é sim um crime motivado por homofobia. Seria muito mais simples se cada um vivesse a sua própria vida sem se importar com a vida do outro. Mas como infelizmente a vida do outro incomoda, temos sim que buscar ajuda nas leis. Temos de lutar pelo simples direito de existir e viver.

    Responder
  5. 89 Maria Fernanda 21/09/2014 5:17

    Aos preconceituosos de plantão, chorem à vontade!!! Mais dia ou menos dia a criminalização da homofobia será aprovada!!!. E para os ignorantes medievais aqui vai o link de uma entrevista que pode deixa-los um pouco mais inteligentes.http://m.youtube.com/#/watch?v=wzPyNdmxX3M

    Responder
  6. 88 Epistene 20/09/2014 12:15

    Dimitri Sales ha detto sacrosanta VERITA’.

    L’odio per i gay uccide: per questo bisogna punire l’«omofobia».

    E’ importante leggere questo studio: http://www.fisicamente.net/SCI_FED/index-70.htm

    Responder
  7. 87 Maribel 18/09/2014 2:57

    Veja essa matéria que a TV Record publicou sobre uma união estavel de um casal do mesmo gênero em uma cerimonia budista.Muito bom para quebrar alguns pensamentos conceitosos sobre o tema.
    Primeiro casamento religioso de Santa Catarina entre pessoas do mesmo sexo é realizado em Blumenau Os jovens registr […] Veja mais em: http://ndonline.com.br/vale/noticias/115449-primeiro-casamento-religioso-de-santa-catarina-entre-pessoas-do-mesmo-sexo-e-realizado-em-blumenau.html?fb_comment_id=fbc_446605358783364_2280742_446924075418159#f2dd452db8.

    Responder
  8. 86 jc 17/09/2014 21:27

    Meus pais eram intolerantes tinham o mesmo discurso homofóbicos , mudaram o discurso depois que eu revelei que era gay . Todas as pessoas estão sujeitas a ter um filho homossexual!! Portanto ser intolerante a homossexualidade pode ser um tiro no pé!

    Responder
    • paulo jose da silva 01/12/2014 19:14

      coitado deste pai que decepção fazer o que né! vamos dizer que esta tudo bem. que dó

      Responder
  9. 85 Santos 17/09/2014 14:12

    Não sei onde esse rapaz aprendeu esse monte de asneiras e argumentos fajutos, tendenciosos e imprecisos. A verdade única e definitiva é que temos como cidadãos direto a opinião, livre de qualquer pseudo conceitos humanistas. A minha opinião e a opinião de mais de 80% da população brasileira tem que ser respeitada e, sejamos sinceros, em nada ela contribui para o aumento da criminalidade contra LGBTS e muito menos para o crescimento da tal homofobia que permeia dia e noite a cabeça desse pessoal. 2013, mais de 56000 mortes violentas no Brasil, deste total pouco mais de 320 foram de homossexuais; 0,005% ou coisa parecida, 14 a mais que em 2012; há não, é um homossexual assassinado a cada 23 horas! – mais ou menos um por dia; Bom, número por número, foram perto de 153 heterossexuais assassinados por dia. Cadê a tal homofobia brasileira? Verdade amigos é que crime é crime e criminoso tem que ir pra cadeia, independente sua opção sexual, religião, cor da pele, parentesco, partido político e etc…Querem criminalizar a opinião de cidadãos livres, contribuintes de seus impostos, com penas inafiançáveis, equiparando uma doença classificada na psiquiatria como opinião transformando-a, ela, a opinião, em crime hediondo. Será que esse pessoal tem mesmo cérebro na cabeça ou são matrizes imbecis mesmo.

    Responder
  10. 84 jac fran 16/09/2014 14:18

    Melhor seria cada um tomar conta da sua própria vida.
    Quando a TV relata fatos do cotidiano como o homossexualismo, seja masculino ou feminino, se promove um debate, seja por questões religiosas ou por algum problema de identificação, sei lá. Quando a TV da preferência a outro fato também do cotidiano, como a violência seja ela armada ou contra a mulher, criança etc.. Não vejo debate algum sobre esse assunto. O que ta havendo? Porque será que um determinado grupo, tem tanto medo de aceitar, que as pessoas possam fazer de suas vidas o que quiserem, sem que prejudiquem os outros é claro. Será falta de coragem?

    Responder
  11. 83 LUIZ BALBINO 16/09/2014 13:23

    Então vamos criminalizar a Cristofobia também, ok ?

    Responder
    • Vagner 25/09/2014 5:09

      Já existe lei que criminaliza a discriminação por opção religiosa, assim como por sexo (masculino e feminino), cor, etnia, entre outros itens, mas ainda não foi incluso “ORIENTAÇÃO SEXUAL” (ou opção, ou condição, se preferir) e deveria ser incluso pois a diversidade sexual é uma realidade cada vez mais comum no Brasil, Não é justo excluí-la de uma lei que protege outras diversidades.O objetivo do PLC 122, não é dar mais direitos aos gays, o termo gay nem é citado no projeto. O projeto visa acrescentar a ORIENTAÇÃO SEXUAL (que também pode-se compreender HETEROSEXUALIDADE), portanto héteros também estariam amparados pela mesma lei, caso sofressem “heterofobia”. Não é preciso ser um gênio para compreender isto, ou essas pessos realmente não possuem capacidade de entender algo simples, ou se fazem de incapazes por desonestidade.

      Existem várias religiões que também não concordam com a homossexualidade (e isso é um direito também assegurado, pela liberdade de culto presente na constituíção), porém, o cristianismo, é a única (no Brasil) que se dedica incansavelmente, a DEMONIZAR a todos que não adotam a sua “filosofia”, sejam os gays, os adeptos de religião afrobrasileiras, ateus, etc. Sendo os homossexuais, um dos seus principais “alvos” de DEMONIZAÇÃO. A homofobia não se deve apenas ao cristianismo, mas é fato que as pregações cristãs sobre este tema são carregadas de ignorância e induzem grande parte da população, a associarem isto ao “MAU”, a “PROMISCUÍDADE”, ao “MAUCARATISMO”, etc, e isto, além de equivocadamente, atentar contra a dignidade dessas pessoas (gays), conscientemente ou Inconscientemente, também se reflete na sociedade, causando discórdias, pré-conceitos, e intolerância. Não necessariamente, os cristãos agridem ou matam um gay, mas os discursos desse “segmento” de cristianismo, geralmente são os usados para “justificar” tais atos, por vezes realizados por skin heads, por exemplo. Se argumentos de caráter religioso, estão sendo usados para justificar atos de violência por estarem sendo mal interpretados, então caberia ao EMISSOR se comunicar de forma que o RECEPTOR interprete a mensagem de forma correta.

      Na minha opinião, muitos cristãos (extremistas), especialmente líderes de igrejas, temem o PLC 122, porque são conscientes de suas responsabilidades quanto a “má interpretação” de suas palavras por quem pratica a homofobia, e como héteros dificilmente serão discriminados por sua ORIENTAÇÃO SEXUAL, então pra esses religiosos, a aprovação dessa lei não é importante. E se aproveitando da ignorância de boa parte da população (como de costume), criaram propositalmente, diversas paranoias sobre esse PLC, e as espalharam pela internet para tentarem por medo nas pessoas, e assim, convencer a opinião pública a serem contra a inclusão deste ítem, alegando que o PLC 122, daria privilégios aos gays, que mandaria pra cadeia quem tiver opinião oposta, ou que as pessoas iriam ser obrigadas a virarem gays, etc, etc.

      E infelizmente, tem muita gente manipulável, que cai nessas paranoias. É lamentável.

      Responder
  12. 82 João Gabriel de Osório Barbedo marques 16/09/2014 12:48

    O poderoso e onipresente loby gay preparava-se para usar a morte de rapaz homossexual gay em Goiás para fazer andar sua agenda de criminalização da “homofobia”, mas foram surpreendidos pelo fato do assassino ser também ele gay. Aí desinteressaram-se do assunto e desconversaram. Ser gay é perigoso, sim, mas não por causa dos assim chamados “homofóbicos” mas pelo submundo depravado que frequentam.

    Responder
  13. 81 Pensatudo 16/09/2014 12:17

    Ser homofóbico, significa ser contra uma destruição em massa como quer a Globo. Sim, porque se todos virássemos gay’s, existiria apenas esta geração, porque homem com homem e mulher com mulher não gera outro ser. Ser homofóbico significa ainda ser do lado de Deus que não fez gay, apenas homem e mulher. E não caiam nas pregações de pastores políticos, Deus ama a todos os pecadores, mas para resgata-los de seus vícios, não para que continuem neles. Sou homofóbico sim, mas contra violência em viciados, porque tambem sou viciado em outros delitos e tenho clamado a Deus para abandonar.

    Responder
  14. 80 Ailton Paiao 16/09/2014 12:15

    Se sou homofobico não sei… só sei que sigo principiosde valor de familia. Onde um homem e uma mulher se unem organizam um lar e tem filhos (de seus proprios sangue) e assim propagam a humanidade. Sempre foi safadeza, e vergonha essa coisa de gostar do mesmo sexo. Agora eu pergunto será que a humanidade esteve errada por mais de 2000 anos e agora que os valores familiares estão a estas leis absurdas, novelas e tantos afrontos ao lar decente querem mudar o pensamento do povo de bem. Tenho orgulho de ter uma familia e me da ansia ao ver a pouca vergonha desfilar por ai…

    Responder
  15. 79 Eduardo 16/09/2014 11:26

    “Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo” . Esta frase, que pode ou não ter sido dita por Voltaire, resume toda situação de criminalização de tudo no Brasil. Eu tenho o direito de ser contra o que eu quiser. O que eu não posso fazer é usar minha crença para ofender, denegrir ou constranger alguém. Uma lei não pode determinar o que eu penso de uma pessoa ou de uma situação. Se alguém não concorda com cotas raciais, homossexualismo ou qualquer outra coisa é direito desta pessoa expressar esta insatisfação. O que não pode acontecer é a manifestação raivosa e ofensiva (e isso já é crime).

    Responder
  16. 78 Dyego 16/09/2014 11:19

    Antes de tudo Marcopine, estude a constituição sobre direitos e liberdades iguais perante a todos, seu direito de opinar não deve JAMAIS interferir no direito a cidadania e vida alheia…outra coisa que vc deveria estudar é que “homossexualismo” não existe em dicionários atuais visto que o sufixo “ismo” era usado pela igreja e psicologia como “doença”, e como se trata de afetividade humana a palavra heterossexualismo e homossexualismo NÃO EXISTEM, pois o correto seria homossexualidade (homoafetividade) e heterossexualidade (heteroafetividade), tendo em vista que o fato de vc “se considerar” hétero não o faz melhor que ninguém por ser machista, sexista e homofóbico… outra coisa que deve aprender que a sua opinião e preconceitos NÃO DEVEM ser impostos ás outras pessoas, que também tem os mesmos direitos a vida, a liberdade e cidadania digna!!!!

    Você não está sendo “oprimido” quando outro grupo ganha direitos que você SEMPRE teve.
    Um direito não é o que alguém deve te dar, um direito é o que ninguém pode te negar…. Por isso chamam de Direitos e NÃO de Favores!!!!!

    Responder
  17. 77 Somara 16/09/2014 10:53

    Com essa proposta de criminalização, os homossexuais estão usando para afrontar os heterossexuais, os direitos são iguais, não somos obrigados a presenciarmos cenas de carinhos ousados ou mesmo beijo de língua entre esses casais, que é o que estão fazendo, sendo que isso mesmo entre os casais hetero são inaceitáves, porem, eles, os homosexuais, acham que com essa lei, estão acima do bem e do mal.

    Responder
  18. 76 Marcio 16/09/2014 10:47

    Então vamos criminalizar para os mendigos, os negros…e eu também quero uma lei especial quando me ofendem. OLha só..o que é preciso é que os homossexuais sejam discretos. Conheço casais de gays que vivem juntos há anos e só os amigos mais próximos sabem. Por favor, isso é ideologia homossexual e só vai trazer muita desgraça.

    Responder
  19. 75 marcio 16/09/2014 10:24

    Se existe a homofobia existe também a heterofobia não sou obrigado a aceitar tudo que a mídia quer empurrar á seco . Só existe preconceito quando a mídia quer.

    Responder
  20. 74 Pablo 16/09/2014 10:24

    O que um lixo de emissora tenta impor na sociedade, não é natural. Com a maioria dos autores gays (posso dizer esta palavra sem ser processado?), Tentam de toda forma inserir em suas novelas relacionamentos homossexuais. Torna-se um contexto forçado, como as propagandas inseridas nas mesmas novelas. Não sou preconceituoso, mais quero meu espaço e de minha família respeitado. Hoje predominante no brasil que gay pode tudo, estão confundido liberdade com libertinagem. E aposto, todo meu patrimonio, se, algum pai ou mãe, sonham em ter um filho ou filha homossexual. Se gostariam de passar na rua e ver a filha de 15 anos beijando a amiguinha na boca, porque viu na novela que é normal. Isto é hipocrisia pura, inversão de valores!

    Responder
  21. 73 Alexandre Murti 16/09/2014 9:50

    Esse texto é um absurdo. Porque não criminalizar a gordofobia, a carecafobia, a baixinhofobia, a feiurafobia?!! Ah, sejamos inteligentes, censurar o livre pensamento é um ato facista. Esses defensores da causa gay são fundamentalistas. E viver neste mundo está cada vez mais difícil devido a tanta hipocrisia. Ninguém é obrigado a aceitar como normal o homossexualismo, nem a necrofilia, nem a pedofilia, nem a zoofilia. Para serem respeitadas as pessoas precisam se dar ao respeito.

    Responder
    • Ronaldo 01/11/2014 1:52

      Se um homossexual passar uma cantada em um heterossexual e o mesmo se sentir constrangido com a cantada, não deveria ser crime também?

      E como seria o casamento do bissexual? Poderia se casar com um homem e uma mulher ao mesmo tempo?

      Responder
  22. 72 marcopine2 16/09/2014 7:04

    oh sr sabichão do comentário acima, sabia que não existe HOMOSSEXUALISMO, ismo é patia, é doença e homossexualidade não é doença, se atualiza,

    Responder
  23. 71 Geailton 16/09/2014 3:43

    Só faltou o autor da matéria dizer que 2 das fotos que ele colocou não foram de crimes de homofobia, como apurados pela polícia. Ou seja, nem fontes verdadeiras os ativistas GLBT tem

    Responder
  24. 70 André 16/09/2014 2:51

    Cara, você tentou fazer um bom texto, e conseguiu em parte. Pena que suas bases teóricas sejam equivocadas. Para se discutir machismo, homofobia e etc, deve-se usar a definição correta destes, e não as deduzidas(principalmente com o olhar claramente tendencioso como vi neste texto). Mas o mais grave que percebo na questão da homofobia e das políticas públicas é a questão da criminalização da homofobia, já que este é um belo tiro no pé. Onde já se viu uma lei que nega um lado a atacar outro, mas permite o outro a atacar o um? É completamente errado criminalizar o preconceito de um gênero, o correto seria transformar o preconceito em crime, independente do gênero. Agressão por motivo de gênero, cor, estatura e etc, deveria ser crime hediondo, independente de ser cometido contra um gay, um cristão, um negro, um branco ou um ateu. É errado agredir um homossexual pelo fato dele o ser, assim como é errado chamar um negro de macaco, etc. Mas também é errado chamar uma pessoa branca de leite azedo, uma pessoa obesa de bola, um calvo de aeroporto de mosca e etc… Preconceito, fobia, intolerância, e bulling acontecem com todos, não com apenas alguns. Façamos leis que permitam punir exemplarmente esses crimes que insistem em ocorrer, mas essas leis devem defender a todos, não alguns.

    Responder
  25. 69 carmen c.perine 16/09/2014 2:44

    É meus amigos, os tempos mudaram, temos que ver tudo que não concordamos, de boca calada,…tudo bem que devemos respeitar as diferenças, mas ter que aceitá-las! é algo muito duro, será que o grupo LGBT, é que estão certos? temos que ter a preferência homo? e a humanidade como fica? ou o certo é sermos filhos de proveta… respeito a todo ser humano, mas não me sinto confortável, com esta onda de propagando à favor da homossexualidade, exposta hoje em dia pela mídia, acho mesmo um tremendo exagero, e de mau gosto….carmen

    Responder
  26. 68 Dane 16/09/2014 2:11

    O segundo(foto) rapaz se suicidou, não foi crime de ódio e o terceiro, até onde sei também não foi crime homofóbico, ele se desentendeu com um rapaz que ele estava a sair, apos o ato sexual. No demais acredito que as pessoas tem os direito iguais e que não devem ser agredidas por sua opção sexual. Mas ficar dizendo que todo gay que morre em algum ato violento é só por ser gay, já é demais, precisa ser apurado melhor. Conheço muitos gays, todos educados, trabalhadores, gente super fina, nunca foram agredidos, são pessoas de muito respeito e tdo mundo sabe que são gays, eles nem ficam falando no assunto, só querem muito o casamento. Acredito que vai mto da pessoa tbm, tem gente sendo gay ou não que vive em beco, balada furreca e atras de gente nojenta, depois que sofre agressões dai vem dizer que é porque é gay, não é, é má compania msm.

    Responder
  27. 67 amauri 16/09/2014 2:05

    endosso as palavras constantes no comentario formulado pelo “marcopine”, pois para os ativistas, ou voce concorda com eles ou são considerados inimigos

    Responder
  28. 66 Francisco Vieira 16/09/2014 1:14

    elevo-me a condição de corista quanto a opinião do Sr. Marcopine. se alguém tem o direito de gostar de lixo, eu tenho o direito de não gostar. se alguém tem o direito de gostar de banho, eu tenho o direito de não gostar. se alguém tem o direito de gostar de gays, eu tenho o direito de não gostar. somos criados e educados nesse sentido: ou se gosta ou não se gosta. quer ser o que quer que seja? seja-o dentro de sua discrição e condição. não saia empurrando goela (e olhos) abaixo a sua picardia, sua canalhice, sem-vergonhice ou falta de estrutura moral e social. o que os olhos não veem o coração não sente. você não me mostra, eu não crio opinião.

    Responder
  29. 65 Yara 16/09/2014 1:05

    Todos nós podemos ter as nossas opiniões. Você tem que respeitar o gay e tem que respeitar também a opinião de quem não pensa como o gay”, Portanto essa discussão tem um outro lado também. Nós, que não concordamos com muitos comportamentos, estamos sendo vítimas de preconceito.

    Responder
  30. 64 Vera 16/09/2014 1:03

    Todos nós podemos ter as nossas opiniões. Você tem que respeitar o gay e tem que respeitar também a opinião de quem não pensa como o gay”. Portanto essa discussão tem um outro lado também. Nós, que não concordamos com muitos comportamentos, estamos sendo vítimas de preconceito..

    Responder
  31. 63 paulo 16/09/2014 0:22

    Sr. Marcopine isto é uma questão de respeito para todos. Senão consegue entender, imagine ser o seu amado um Gay. Acorda rapaz!!!!!

    Responder
  32. 62 Rogério Gularte 15/09/2014 23:52

    Acabei de fazer um comentário, dando minha opinião, sem ofensas e não foi publicado. Só vale as publicações a favor ?

    Responder
  33. 61 Rogério Gularte 15/09/2014 23:50

    O problema não é ser a favor ou contra guys, o problema é não ter direito a opinar e muito pior : não ter direito de escolha e opinião. É empurrada goela abaixo a obrigatoriedade de gostar de qualquer coisa que a gente não gosta. O que me irrita não é a tolerância com a diversidade, mas sim a obrigatoriedade de aceitá-la e ainda gostar da situação. A humanidade, gosta, odeia ou tolela, são as 3 opções que temos. Com a criminalização da homofobia e do racismo negro (pois é a única raça que se queixa da discriminação e abusa das vantagens) as pessoas passarão a ser mais cínicas e dissimuladas ainda, pois só terão uma opção, sem direito de opinião. Se para todos os demais seres humanos a Constituição estabelece que são iguais perante a lei, porque essas 2 categorias tem que ter privilégios especiais ? Uma mulher é estuprada e morta, ninguém liga, nem é manchete de jornal. Porque a diferença ? Não é um ser humano ? Acho errado qualquer coação, humilhação, maus tratos e agressão contra quer quem que seja : homem, mulher, criança ou animais, não interessando a cor, raça, espécie ou preferência sexual. Agora acho muito mais errado ter duas ou três categorias especiais e privilegiadas.

    Responder
  34. 60 Geraldo De Freitas Rezende Filho 15/09/2014 23:45

    Hoje em dia, se eu ou qq um for emitir alguma opinião, que seja contra somos todos homofóbicos.- Sinceramente isto é o fim da picada.- Eu tenho o meu direito de opinar sobre qq coisa por outro lado o que sou contra aos gays é esta promiscuidade ( que não são todos ) que êles parecem que adoram a fazer em público prá já erquerem um barraco.- Historicamente e culturalmente nosso País, não tem por enquanto espaço para tais situações.- O povo sulamericano é de índole muito machista e sempre vai dar bronca.- Prá mim denominação casal é um homem e uma mulher, o resto é … … … …

    Responder
  35. 59 MAURO 15/09/2014 23:35

    CERTINHO AMIGO.ABAIXO A HETEROFOBIA.

    Responder
  36. 58 mauro 15/09/2014 23:33

    contra a ditadura gay. MALAFAIA E FELICIANO ESTÃO CERTOS

    Responder
  37. 57 jonas silva 15/09/2014 22:44

    este colunista ainda se diz advogado ,este texto é o cúmulo da burrice

    Responder
  38. 56 Izaias 15/09/2014 22:17

    SE LIGUEM!!!
    Estão na contra-mão da sociedade!
    Ví uma matéria na National Geo, onde os chipanzés, primatas mais próximos do homem(98% do DNA) praticam a homossexualidade entre si: Individuos velhos com infantes e toda espécie de abominações.
    SÓ QUE ELES SÃO PRIMATAS! Homossexualidade é um retrocesso da alma, um comportamento de seres descontrolados, que não têm equilíbrio suficiente para viver em sociedade. Para receberem respeito como homens e mulheres, devem assim se comportar, SE DESEJAM galgar para o homo sapiens que controla esse instinto animal. advogado.grs@gmail.com

    Responder
  39. 55 paulo jose da silva 15/09/2014 21:12

    Porque não criminalizar a homofobia ! porque a nossa constituição já tem leis que criminalizam a morte e agressão a seja ele branco, negro, amarelo , homem, mulher, criança, animal, idoso e o homosexual não é uma raça mas um grupo! por isso é incoerente que se crie uma lei especifica para este grupinho que resolveu criar uma nova raça. então queridinhos parem de frescura e sejam homens.

    Responder
  40. 54 Ricardo 15/09/2014 21:10

    Tenho pena desse Marco. Qualquer um pode não querer o homossexualismo a si mesmo, mas deve respeitar o que o outro quer pra si, esse é o ponto.
    Ninguém precisa concordar ou discordar, é só aceitar, tão simples…

    Responder
  41. 53 Cleber 15/09/2014 20:58

    Acredito que a tolerância deve partir de todas as partes.
    Isso quer dizer que, independentemente da minha opinião ser contrária ou a favor de determinado tema, tenho direito constitucional de expressá-la.
    O que mais me incomoda nessa luta pelo reconhecimentos dos direitos gays e afins é que estes, que se julgam injustiçados durante tanto tempo, resolveram fomentar uma verdadeira caça ás bruxas e enfiar goela a baixo a sua vontade e taxar de homofóbico toda aquele que disser um “a” que não concorde 100% com o que essa mídia podre nos obriga, dia a dia, a engolir.
    Não se busca direitos de uma classe ou categoria cerceando o direito de outros.
    Quero continuar vivendo em um país democrático e livre, e não em uma ditadura do movimento LBGT, do MST ou do Green Peace.

    Responder
  42. 52 Arlindo F 15/09/2014 20:44

    O Brasil é o país que mais fabrica leis no mundo. Até a nossa Constituição que era a mais “evoluida” do mundo, segundo especialistas, e agora já estão falando numa possível nova constituição. Enquanto isso a Constituição norte americana de 1787, só sofreu 27 emendas, e a nossa de 1988, já teve ao todo até agora, 74 emendas (por baixo). Ué! não era a mais evoluída do mundo? Chega de leis. Quem mata, não importa o motivo, já é crime e dá cadeia. Qualquer um que tira a vida, seja pelo fato da vítima ser evangélico, cortinthiano, palmeirense, judeu, nordestino, homossexual, heterossexual, não importa, já tem lei para mandar o assassino para a cadeia, pois matar é crime CP art.121.

    Responder
  43. 51 marcopine 15/09/2014 20:25

    bla, bla, bla gay. Meu amigo, não sou obrigado a concordar com homossexualismo. E tenho o direito constitucional de opinar contra tal prática. Crime de homofobia nada mais é do que se criminalizar a opinião de quem é contra a propaganda homossexual e contra o homossexualismo explícito que é mostrado abertamente e sem pudor à população brasileira pela mídia em geral.

    Responder
    • Dan 16/09/2014 14:49

      Realmente você tem o direito co0nstitucional de opinar contra “tal prática”, o mesmo direito que um gay, bi e todos nós tem de decidir sobre as nossas questões pessoais e sexuais e não cabe a qualquer um tecer comentários discriminatórios ou rancorosos sobre o que o outro é ou deixa de ser até porque não vejo como o que o Sr. teria a ver com as orientações dos outros, você tem o direito de pensar como queira, no entanto ninguém têm que tolerar suas explanações fundamentalistas a respeito delas. No mais, o que as pessoas pensam é um problema delas. Conviva e aceite isso colega, respeite o direito dos outros.

      Responder
    • guilherme 16/09/2014 14:32

      Concordo com o “marcopine”. Os LGBT teem o direito de viver no nosso meio social desde que não se esparramem. Eles devem respeitar as opiniões das pessoas que não aceitam as suas práticas e, quando estiverem em contáto deixem de lado seus “trejeitos e linguajar afeminado”, pois isto é uma forma de respeitar os seus diferentes.

      Responder
    • Rodrigo 16/09/2014 14:19

      Marcopine, é justamente esse ódio que vc nutre que gera situações de violência…Nenhum pessoa tem que se sujeitar a ofensas e violências por conta do que ela é. Não existe propaganda homossexual! Para com isso, cara! Direitos são princípios estabelecidos por lei, fundamentados pela ética e a moral. Sua opinião deixa de ser apenas opinião quando ela gera um reflexo de violência sobre outra pessoa. Se a criminalização da homofobia te incomoda tanto, o que está fazendo aqui numa página do IGay? Por que vc sequer está lendo estas coisas? Vc veio até aqui livremente! Quer continuar agindo de forma preconceituosa e agressiva e quer que a lei ainda fique do seu lado? Desculpe-me, mas o seu equívoco perdeu a noção do tamanho dele…

      Responder
    • Fabiano Golgo 16/09/2014 11:53

      Caro Marcopine, vc não é contra o heterossexualismo explícito que coloca mulheres de biquíni dançando feito go-go girls atrás de apresentadores de programa de auditório? Elas se mostrarem abertamente e sem pudor à população não é problema? As crianças sexualizadas, crescidas com a Xuxa de minissaia não são problema? E vc tem o direito constitucional de chamar um negro de macaco? Se opinião é direito, ofensa pessoal não é: é injúria. Uma coisa é dizer para seus amigos q não gosta de gays, outra é agredir um homossexual diretamente. O crime de homofobia é para quando alguém levar uma surra por ser gay, não é para impedir a sua opinião pessoal. Se fosse assim, poderíamos ser racistas também… Quem acha que tem muito homossexual na novela pode também dizer que tem muito negro? Ou muitos gordos? Ou muitos baixinhos? Ou muitos velhos? Ora… vida em sociedade significa respeito pelas diferenças.

      Responder
    • Jacqueline 16/09/2014 10:30

      concordo. Temos o direito de expressar nossa opinião. Claro, não podemos e nem devemos discriminar ninguém pela sua escolha sexual, mas tb podemos aceitar ou não. Quer dizer, que a Lei vai nos obrigar a aceitar?? Onde estaria a liberdade de expressão?? O que vemos hoje é uma pressão para que a sociedade aceite sem questionar.

      Responder
    • MARCIO 16/09/2014 0:05

      Em resumo, Marcopine expôs muito bem a visão no mínimo equivocada daqueles que concordam com o texto. É fato, o machismo esta enraizado em nosso cultura, tal qual o racismo, ambas práticas condenáveis com previsão em leis, mas da maneira que é colocada pelos ativistas Gays a lei de homofobia, tole a liberdade de opinião.

      Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios